quarta-feira, 27 de março de 2013

Maior parte da população do Nordeste de Amaralina é pobre

Segundo dados do último censo do IBGE (2010), a maioria da população da região Nordeste de Amaralina ganha menos de 1 salário mínimo, ou menos. 

Os dados mostram que 44,38% dos chefes de família ganham 1 salário mínimo, ou menos. 

As estatísticas apresentam também que 12,67% dos chefes de família da região não possui renda alguma. 

Estes percentuais estão abaixo dos índices da cidade: em Salvador, 33,7% dos chefes recebem menos de 1 salário. Enquanto que em Salvador 55,9% dos chefes recebem até 2 salários, na região Nordeste de Amaralina este percentual se eleva para 69,20%. 

Se for considerado que a maioria da população da região Nordeste de Amaralina é negra e parda (86%), vale ressaltar que esses dados se assemelham com resultados de indicadores gerais que mostram que, no Brasil, os negros e pardos estão em desvantagem com relação aos brancos em termos de condições de saúde, mortalidade, emprego, renda e riqueza.

A tabela abaixo apresenta a distribuição dos chefes de família por classe de renda.


Pelos 10% do PIB!



A AMNA defende a proposta de se destinar os 10% do PIB para a educação por considerar que não há como pensar no combate às mazelas sociais, no combate às desigualdades e à violência, e no fortalecimento da nossa soberania sem pensar na melhoria da educação. Hoje, se investe menos de 5% do PIB nessa área. 

terça-feira, 26 de março de 2013

AMNA participa das discussões do Projeto Salvador

A Associação de Moradores do Nordeste de Amaralina está participando das discussões do Projeto Salvador. Uma importantíssima iniciativa, o Projeto conta com a participação de diversas instituições, desde técnicas a representantes da sociedade civil organizada, que discutem e elaboram propostas para a cidade de Salvador.




O Projeto Salvador visa contribuir nas discussões sobre o futuro de Salvador, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia (CAU-BA), o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (CREA-BA), a Federação das Associações de Bairros de Salvador (FABS), a Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Bahia (FAUFBA), o Germen – Grupo de Defesa e Promoção Socioambiental, o Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento da Bahia (IAB-BA), o Movimento Desocupa, o Movimento Vozes de Salvador, o Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas do Estado da Bahia (SINARQ-BA) e a Sociedade Brasileira de Urbanismo (SBU) constituíram o “PROJETO SALVADOR”, um FÓRUM ABERTO voltado à DIVULGAÇÃO E DISCUSSÃO DE PROPOSTAS para a nossa capital, nos campos da ARQUITETURA, da ENGENHARIA, do URBANISMO e áreas afins.



Documentário denuncia modo de agir da Polícia Militar na Região Nordeste de Amaralina

Menino Joel é um documentário que retrata, a memória do frio assassinato de Joel da Conceição Castro, de apenas 10 anos, morto em 2010 pela arma de um policial durante uma operação no Nordeste de Amaralina. 

Confira o vídeo na íntegra abaixo.



Direção: Max Gaggino
Produção: Rodrigo Cavalcanti
Ass. de produção: Jaqueline Bonate
Assessoria de imprensa: Ana Araujo
Produção musical: Robert Mão de Ouro
Músicas: Eu vim de lá (Mr. Armeng) ; Menino Joel (Negro Davi)

segunda-feira, 25 de março de 2013

A maioria da população do Nordeste de Amaralina é negra e parda

É o que afirmam os dados do censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2010). Dos 77.024 moradores da região 66.389, ou seja 86%, é negra e parda. 

Na tabela abaixo se pode observar a distribuição do número de pessoas por raça em cada localidade